segunda-feira, 2 de novembro de 2015

Machupicchu - lugar cheio de mistérios e dono de uma energia renovadora



Sabe aquela data que você aguarda ansiosamente? Pois é, o dia de conhecer a famosa e misteriosa Machupicchu havia chegado. Lá estava eu e meus companheiros de trip aguardando o trem que nos levaria até Águas Calientes, de onde posteriormente pegaríamos rumo a Machupicchu. Depois da minha estadia louca em Cusco, fui dormindo o trajeto todo (são aproximadamente 3 horas de trem de Cusco a Águas Calientes). Lá estava eu babando igual criança pequena, toda torta no banco do trem. Perdi de apreciar boa parte da paisagem, o trajeto é lindíssimo, porém meu corpo implorava por umas horinhas de sono. Fui dormindo.

Chegamos em Águas Calientes. Deu um friozinho na barriga pensar que eu estava tão perto do meu tão aguardado destino. Fazia calor, e a cidade é bem interessante. Não há carros, nem motos, somente o trem e os ônibus que fazem o trajeto de Águas Calientes até a entrada do parque de Machupicchu. Então você pode andar tranquilamente pelas ruas da cidade sem medo de passar uma moto a mil por você, ou ter que olhar para os lados para atravessar uma rua. É agradável. Além disso, a cidade é uma ladeira. Dica: deixe de preguiça e suba as ladeiras se quiser economizar dinheiro. A medida que você vai subindo, percebe que o preço dos restaurantes vai baixando..#ficadica!


Águas Calientes

Sem carros, sem motos...somente o trem!

As ladeiras de Águas Calientes
Como todo bom mochileiro, estávamos pechinchando tudo. Nos hospedamos em um hostel bem baratinho (Hostel Joe Inn) e com a falsa promessa de água quente e silêncio. Mais uma vez mentiram para nós haha...o hostel era barulhento e a água do chuveiro parecia água de geleira. Cada um que ia tomar banho xingava meio mundo. Chegava a ser engraçado...mas ok, estávamos indo a Machupicchu, então tá valendo!

A noite comemos pizza em um restaurante bem aconchegante. Havia um sagui nesse restaurante, chamava-se Ricardo. Eu adoro perturbar os bichinhos, mas nesse dia me contive hehe.

Ricardo, o sagui
No dia seguinte acordamos cedinho e as seis horas da manhã chegamos na fila para pegar o ônibus até o parque (e a fila já estava gigante). Gente....não façam essa besteira! Não tem porque querer chegar tão cedo. O parque não vai fugir de ninguém, tá a muitos anos lá paradinho, logo, não há motivo para pressa! Hoje eu iria bem mais tarde. Todos querem ir cedo..é uma muvuca! Você quer tirar uma foto e tem cinquenta pessoas atrás...ahhhh vá! É um saco! Definitivamente, você não precisa ir tão cedo. Depois do meio dia o parque esvazia muito e dá para fazer tudo sossegado. Deixe de ser ansioso e aproveite mais a sua cama quentinha. Meio período é suficiente para conhecer o parque. 

Gente...resumidamente...COMO CHEGUEI EM MACHUPICCHU: se não é seu objetivo fazer as trilhas, que duram em média 4 dias de caminhadas, há uma forma super tranquila de chegar em Machupicchu. Trem e ônibus. Eu estava em Cusco, de lá peguei o trem até Águas Calientes (mais ou menos 3 horas de viagem). Dormi em Águas Calientes e no outro dia de manhã peguei o ônibus da Águas Calientes até a entrada do parque. O ônibus te deixa na entrada! Não tem erro! Super fácil. Apenas uma dica, compre o trem com bastante antecedência (meses antes). E claro, tenha já comprado com muita antecedência a entrada no parque, pois há limite de 2500 visitantes por dia.

Bom..vamos ao que interessa. Chegamos na entrada no parque e contratamos uma guia. Eu super recomendo...os guias cobram um valor fechado para duas horas, então você pode se juntar com mais gente e não fica pesado para ninguém. Visitar Machupicchu sem conhecer a história daquilo tudo, não tem o menor sentido. Será mais um monte de pedras que você vai ver, falando grosseiramente. Dá para carimbar o passaporte na entrada do parque...é uma bela recordação!

Entramos e lá estava...nossa...que frio na barriga...realmente é incrível! Lá estava Machupicchu diante dos meus olhos...que sensação mágica estar em Machupicchu, e não tem como negar, o lugar ter uma energia diferente, de arrepiar...só estando lá para sentir. Machupicchu é realmente tudo que vemos na internet, revistas e tals...e eu fui em um dia lindíssimo, foi maravilhoso!









Aí veio a parte chata...tentar tirar uma foto sozinha lá hahaha, vontade de jogar aquele monte de turista morro abaixo. Saiam!!! Só quero tirar uma foto! sacanagem isso!

Passeamos por todas as vilelas para conhecer as ruínas de Machupicchu, descemos, subimos, perturbamos brincamos com as llamas e os porquinhos da índia que haviam lá...Foi bem divertido esse dia. Hoje o parque tem 13 llamas e se você estiver com comida por perto, fuja, elas vão querer sua comida haha. Bom, certa hora estava eu correndo atrás das llamas em busca de uma boa selfie hihihi...elas não me aguentavam mais kkkk, todas fugiam de mim. Até que resolvi ganhar elas pelo estômago...Nada que um pacote de waffer não resolvesse. Ta aí embaixo, a tão esperada selfie! O único problema é que ela não sossegou até comer todas as minhas bolachas! Dá para ver os farelos na boca dela.





Fui para um canto descansar na sombra e comer o que sobrou na minha mochila. Adivinha quem aparece e me ataca? hahaha...outra llama! Foi direto na minha pringles aaaahhhhhh sai daquiii! Comecei a berrar, porque a llama não tirava a fuça de dentro do meu pote de Pringles! Eis que eu olho para trás e tem uma meia dúzia de japoneses tirando foto daquela situação....certamente eles nunca viram uma loira sendo atacada por uma llama...foi hilário! Ri demais! Meu estômago doía de tanto rir kkkkk. E devo ter ficado famosa entre eles rsrsrs.

Voltamos a Águas Calientes, e novamente fomos comer pizza...Atormentei o Ricardo, o saguizinho do restaurante hahahaha...ele ficou tão puto comigo que me mostrou a língua ferozmente, tentou atacar, mas ele estava preso, e eu não kkkk...nesse dia meu senso de humor estava bem elevado.


Ricardo puto da vida comigo hehe
Agora sim, de barriguinha cheia pegamos o trem de volta a Cusco. Foi divertido...fizeram muitas brincadeiras dentro do trem, até a Liz dançou com um dos tripulantes da PeruRail. O Alan estava morto, e nada viu...dormiu com a cabeça em cima da mesa. O trem atrasou mais de duas horas...quase perdemos o ônibus de Cusco para Puno. No outro dia descobrimos o motivo do atraso...um terremoto de 7 graus estremeceu Cusco e arredores. Tenso!

Machupicchu foi pra conta! E cumpriu todas as expectativas! Voltei renovada e feliz!